Luz e Saúde

A alternância entre a exposição à luz e claridade do sol durante o dia e a escuridão da noite é essencial para a saúde plena. 

O ambiente moderno gerou a possibilidade e normalizou um modo de vida desconectado dos ciclos naturais de luz e escuridão,  com um impacto negativo profundo em nosso metabolismo.

 

A falta de luz natural e o excesso de luz artificial gera distúrbios hormonais, metabólicos, problemas de sono, desregulação do apetite, estando diretamente relacionado à problemas graves de saúde como insônia, Alzheimer, diabetes tipo 2, depressão, câncer, miopia, problemas oculares e muitos outros.

 

Não à toa, muitos destes distúrbios são conhecidos como "doenças da civilização".

Luz azul artificial

A tecnologia nos trouxe a possibilidade de ignorar a escuridão da noite e estender artificialmente nossas atividades, mas isso tem consequência muito maiores do que pode parecer. 

A luz é composta por diferentes frequências. Lembre-se da experiência do prisma ou do arco-íris. Cada frequência corresponde a uma cor e possui um efeito biológico específico.

 

As luzes modernas, tanto de lâmpadas quanto emitidas por celulares, tvs e computadores possuem grande quantidade de luz azul, um tipo de frequência luminosa que durante toda a história da humanidade esteve presente apenas na luz do sol, durante o dia e que envia um sinal muito potente para o nosso cérebro. Este sinal informa que é dia e a produção de melatonina (um hormônio noturno) pela glândula pineal deve ser interrompido.

Este é um dos principais problemas do uso da luz artificial de noite, de certa forma ela sinaliza para o nosso cérebro que é dia e que, portanto, a liberação de melatonina deve ser interrompida. Dependendo da intensidade desta luz e do estilo de vida da pessoa, essa supressão da melatonina pode ser bem elevada e atrapalhar muito o sono, causando insônia, dificuldades para dormir e problemas de saúde relacionados à baixa melatonina e ao sono ruim.

Mas existem outros problemas também, como cansaço ocular, dor de cabeça. olhos secos, danos à retina, e o estímulo de outros hormônios como o cortisol e neurotransmissores, como a serotonina ou .

•Quando falamos de "luz azul" estamos nos referindo à porção azul do espectro da luz visível.

•Esta frequência é especialmente utilizada nas tecnologias de iluminação mais modernas pois contribui para a economia de energia elétrica e tem um efeito de brilho mais forte. 

As principais fontes de luz azul artificial são:

•lâmpadas fluorescentes

•lâmpadas LED

•Telas de computador, notebook, celulares e tablets

•Televisores

Existem essencialmente dois motivos muito importantes para o uso dos óculos bloqueadores de luz azul:

1. Melhora da qualidade do sono  e da liberação de melatonina (sincronia com o ciclo circadiano).

 

2. Proteção dos olhos.

1.CICLO CIRCADIANO, QUALIDADE DO SONO E MELATONINA

O ciclo circadiano é formado  pelo sequência de acontecimentos biológicos e metabólicos que se repetem aproximadamente a cada 24 horas,

 

O termo "circadiano" provém do latim "circa diem", e significa "cerca de um dia". No caso, o ciclo diário do dia (luz)  e noite (escuridão). Este é um ritmo que está inscrito nas nossas células, órgãos e metabolismo. 

Esse ritmo é fortalecido ou enfraquecido de acordo com os sinais do ambiente, em especial de luz ou ausência de luz.

 

Mas como vimos, a luz é composta de inúmeras frequências, e diferentes tipos de luz possuem diferentes impactos em nossa saúde e metabolismo. A luz artificial (Leds e fluorescente) é muito diferente da luz natural (do sol, da lua ou do fogo). 

Existe uma bioquímica do dia e existe uma bioquímica da noite, esse é o fundamento do funcionamento de todos os seres vivos na terra.

Lembre-se:

•Dentro do espectro luminoso, a frequência da luz azul é a que mais impacta nosso ritmo circadiano.

•É principalmente essa frequência que sinaliza que é de dia e que devemos estar alertas, o que para o corpo  significa secreções hormonais específicas, neurotransmissores específicos e um tipo de metabolismo completamente diferente do da noite.

Ao utilizar luz artificial de noite, estamos causando uma disrupção circadiana, o que resulta em menor liberação de melatonina, insônia, dificuldade para dormir, menor qualidade do sono e, consequentemente, sistema imune enfraquecido, menos disposição e vitalidade durante o dia, mais inflamação, problemas metabólicos, desequilíbrio do apetite e da glicose sanguínea ( que pode causar sobrepeso, diabetes tipo 2 ),  funcionamento cerebral reduzido, etc.

 

 

 

 

2. PROTEÇÃO DOS OLHOS

É preciso ter em mente que o nosso sistema ocular é incrivelmente sensível e que os estímulos luminosos do mundo moderno são altamente agressivos para essa estrutura. Nossos olhos se desenvolveram e estão acostumados com a luz natural, do sol, da lua, estrelas e do fogo.

A luz do sol traz um espectro completo, cujos componentes potencialmente nocivos (luz azul, violeta e ultravioleta) se equilibram com os componentes protetores (vermelho e infravermelho). Além disso, instintivamente não olhamos diretamente para o sol, pois o brilho intenso apresenta perigos. Neste contexto, a luz do sol, a luz azul e UVA são benéficas e necessárias. Precisamos da luz azul presente no sol durante o dia.

Além disso a luz do sol solar varia o seu espectro ao longo do dia, sinalizando isso para o corpo.

 

Quanto mais curtas as ondas, mais energéticas e maior capacidade de afetar os tecidos biológicos e causar danos. 

 

Por isso, escutamos falar tanto dos perigos da radiação ultravioleta e logo abaixo do ultravioleta está a frequência de luz azul.

As luzes ARTIFICIAIS, em especial de led e fluorescentes possuem grande intensidade de luz azul e quase nada de infra-vermelho e vermelho, é este um dos motivos que as tornam tão prejudiciais.

Seus espectros vibratórios são muito desequilibrados, algo que nossos olhos nunca haviam absorvido.

Atualmente não só estamos expostos à este tipo mutilado de luz, "junk light", mas muitas e muitas horas por dia, e o pior, de noite e ainda por cima com deficiência de luz natural durante o dia. Os resultados são - literalmente - desastrosos.

A faixa azul do espectro penetra a retina e a exposição prolongada pode causar inúmeros danos no sistema ocular e no organismo como um todo.

 

 

                                                                              A luz azul danifica as células da retina

Acima estão alguns exemplos de pesquisas científicas apontando os riscos e  danos causados pela luz artificial nos olhos sem proteção.

​Uma Solução: Óculos Bloqueadores de Luz Azul​

As lentes pigmentadas dos óculos livrefluxo bloqueiam perto de 100% da luz azul e uma porcentagem da luz verde (que também tem um efeito na liberação de melatonina, porém mais brando). Assim protegemos os olhos, o sistema hormonal e a qualidade do sono, e consequentemente, o metabolismo e a saúde como um todo.

Na atualidade a exposição à luz artificial é praticamente inevitável, e se quisermos manter a saúde e a qualidade de vida, precisamos utilizar estratégias e ferramentas para "navegar" neste mundo tão cheio de novidades e não naufragar.

 

Utilizar óculos bloqueadores de luz azul é uma das importantes maneiras de neutralizar e amenizar os efeitos prejudiciais do estilo de vida moderno.

Evidências científicas

 

Ja existem inúmeras pesquisas sobre os óculos bloqueadores de luz azul. Eles realmente funcionam. Mas apenas os verdadeiros, com pigmentação alaranjada ou avermelhada. Os óculos com lentes transparentes (reflexos azulados) ou levemente amarelados não funcionam.

Em um estudo de 2018 (1), estudantes universitários do primeiro ano com problemas de sono passaram a utilizar óculos bloqueadores de luz azul.

Com a utilização dos óculos, eles dormiram mais tempo e despertaram menos durante a noite.

Eles não apenas dormiram melhor, mas o humor também melhorou. E todos esses benefícios desapareceram quando os pesquisadores trocaram as lentes alaranjadas de bloqueio da luz azul por lentes de "placebo".

Os pesquisadores concluem:

 

"Estudos recentes mostraram resultados promissores em adultos que usam óculos bloqueadores de luz azul à noite para melhorar o sono e o humor."

Em outro estudo de 2018 (2), os pesquisadores observaram pessoas que estavam se exercitando de noite (treinamento de resistência ou levantamento de peso)  em ambientes com iluminação artificial. Um grupo recebeu óculos pigmentados de laranja e o outro, de lentes claras, como controle. Todos os participantes já apresentavam sono moderado a bom. Eles colocavam os óculos 3 horas antes de dormir.

Em apenas nove dias de uso, os pesquisadores descobriram que:

 "O bloqueio da luz azul à noite, em comparação com a exposição à luz habitual, reduziu significativamente o tempo para adormecer, melhorou a qualidade do sono e aumentou o estado de alerta na manhã seguinte."

E em um estudo de 2009 (3), um grupo utilizou óculos amarelados (que bloqueiam UV), enquanto outro usou óculos bloqueadores de luz azul verdadeiros, que são laranjas.

No final do estudo, o grupo com lentes laranjas experimentou uma melhora significativa na qualidade do sono em relação ao grupo de controle ... O humor também melhorou significativamente em relação aos controles.

Este estudo de 2009 também ilustrou um fato importante - para algumas pessoas pode levar mais tempo para os óculos funcionarem, no caso, foi de quase três semanas .

Existem muitos outros estudos relacionados à redução da luz azul artificial à noite para melhorar a saúde. Não deixe de acompanhar nosso trabalho, se inscrevendo no site e se conectando pelas mídias sociais.

AS LENTES PRECISAM SER LARANJAS / AVERMELHADAS?


Sim.  A cor laranja bloqueia todos os comprimentos de onda mais curtos, como violeta, azul, ciano e parte do verde. Tudo o que resta para ver em termos de luz é amarelo e vermelho - que juntos resultam em laranja. Portanto, a lente precisa ser laranja, âmbar ou vermelha se você quiser que bloqueiem os comprimentos de onda corretos.

1. Perez Algorta, Guillermo et al. “Blue blocking glasses worn at night in first year higher education students with sleep complaints: a feasibility study.” Pilot and feasibility studies vol. 4 166. 1 Nov. 2018, doi:10.1186/s40814-018-0360-y

2. Melanie Knufinke, Lennart Fittkau-Koch, Els I. S. Møst, Michiel A. J. Kompier & Arne Nieuwenhuys (2019) Restricting short-wavelength light in the evening to improve sleep in recreational athletes – A pilot study, European Journal of Sport Science, 19:6, 728-735, DOI: 10.1080/17461391.2018.1544278

3. Burkhart K, Phelps JR. Amber lenses to block blue light and improve sleep: a randomized trial. Chronobiol Int. 2009 Dec;26(8):1602-12. doi: 10.3109/07420520903523719. PMID: 20030543.

toxidade luz azul.png
luz de aparelhos.png
danos sistemicos.jpg
prism.jpeg
PROTEJA O SEU SONO E A SUA SAÚDE.png